Chelsea FC vs Paris SG: Como (não) jogar em superioridade numérica

Nos oitavos de final da Liga dos Campeões da época 2014/2015, o Chelsea FC foi eliminado em sua casa pelo Paris SG, apesar da equipa inglesa ter jogado a maior parte do encontro em superioridade numérica devido à expulsão de Zlatan Ibrahimovic aos 31 minutos da 1ª parte.

Jogar em superioridade numérica deveria ser uma vantagem, mas é usual vermos a equipa que tem menos um jogador a criar mais problemas do que a tê-los (daí alguns “treinadores” dizerem por vezes que é mais fácil jogar com 10 do que com 11…). Johan Cruyff refere que esses problemas são devidos aos jogadores da equipa com 11 jogadores ficarem com mais espaço para jogar mas não saberem o que fazer com ele.

Ao analisarmos os Princípios Fundamentais do Jogo de Futebol (1- Recusar a Inferioridade Numérica; 2- Evitar a Igualdade Numérica; 3- Criar a Superioridade Numérica) é notório que jogar com 11 jogadores contra 10 é uma grande vantagem.

Aproveitando as Ideias de Johan Cruyff sobre o “como se jogar em superioridade numérica” analisámos o encontro e mostrámos porque o Chelsea FC não conseguiu tirar vantagem da superioridade numérica em relação ao Paris SG.

Utilização do software desportivo para a criação de algumas das imagens TacticalPad (clicar neste link para aceder à versão de demonstração gratuita).

Para Johan Cruyff quando se tem a superioridade numérica (devida a uma expulsão na equipa adversária) a equipa deve adotar os seguintes comportamentos:

1- Avançar a bola (não jogar em “meínhos” sem avançar a bola):

Saltar Linhas - Avançar...

2- Procurar o 1×1 em todas as zonas do campo:

1x1 em todas as zonas do campo

3- Nenhum adversário lidar a bola com tranquilidade, sempre pressionados:

Pressão ao portador e potenciais recetores

4- Colocar um jogador “extra” entre as linhas média e defensiva da equipa adversária:

1 jogador entrelinhas

Procederemos agora à análise aos comportamentos realizados pelo Chelsea FC em comparação com os sugeridos pelo treinador do Dream Team.

1- Avançar a bola (não jogar em “meínhos” sem avançar a bola)

Em relação a este comportamento vemos que o Chelsea FC preferia constantemente circular a bola como se de um “meínho” se tratasse, colocando um grande número de jogadores atrás, junto à bola, não deixando muitos à frente para conseguirem avançar a bola, saltando linhas adversárias:

4 marcam 7

5x1

2- Procurar o 1×1 em todas as zonas do campo:

Nas imagens seguintes vemos como o Paris SG, mesmo em inferioridade numérica, conseguia ter sempre mais jogadores nas zonas mais perigosas. É visível também que mesmo com 10 jogadores conseguiam constantemente defender em superioridade, havendo sempre cobertura ao jogador que se opunha ao portador da bola do Chelsea FC:

1x1 em todas as zonas do campo?

Inf. Numérica nas zonas centrais

3- Nenhum adversário lidar a bola com tranquilidade, sempre pressionados:

Jogada após jogada o Paris SG e os seus jogadores mais recuados tinham espaço e tempo para iniciarem o jogo desde trás com a bola controlada, conseguindo assim ter mais tempo a bola no seu poder, o que lhes dava mais possibilidades de criar perigo ao Chelsea FC:

DC sem pressão

Falta de Pressão

4- Colocar um jogador “extra” entre as linhas média e defensiva da equipa adversária:

Mais uma vez vemos como o Chelsea FC apesar da superioridade numérica, nunca conseguiu aproveitar essa vantagem para ter mais jogadores na zona “entrelinhas” (zona entre os médios centro e defesas da equipa adversária). Uma zona que quando bem aproveitada, permite que os nossos jogadores causem muitos danos à equipa adversária:

EEL

Ninguém entrelinhas 2


ADD IT TO YOUR NOTEBOOKS!

You need to login or register to bookmark/favorite this content.


YOU CAN BE INTERESTED IN

Bookmarked By

By TacticalPedia

The most comprehensive Encyclopedia for Football Coaching From Coaches to Coaches

Leave a Reply