Conceito: Transição

 

Volta! Volta! Olha a volta!

Sai! Sai rápido!

Toda pessoa que tenha ao menos jogado uma pelada de Futebol já ouviu essas expressões dentro de campo. É muito comum ouvir o goleiro mandando o time voltar logo para o campo de defesa ao perder a bola ou técnico pedindo para seus jogadores sairem rápido para o ataque após recuperá-la. Mas por que eles fazem isso? 

Como tudo no Futebol moderno, essas ações possuem um nome específico: estão dentro do conceito de Transição. Isso não se aplica somente ao Futebol, mas todo e qualquer Esporte Coletivo onde haja uma equipe atacando e outra defendendo.

Quando a bola está em jogo, uma equipe ou está atacando ou defendendo. Logo existem dois momentos táticos do jogo, certo? Bem, do ponto de vista da organização dos Jogos Esportivos Coletivos não. Existem quatro momentos, dois a mais do que Defesa e Ataque. É nesse ponto que entra o conceito de Transição.

Na imagem destacada do post, podemos ver como se dá o ciclo da organização tática de uma equipe. Após o término do Ataque (perda da posse de bola) e antes da Defesa (quando a defesa está postada conforma o sistema de jogo da equipe), existe a TRANSIÇÃO DEFENSIVA. Esse pode ser chamado o momento de caos em qualquer time, pois nesse instante a defesa não está sólida e as linhas de marcação podem estar muito distantes entre si. Embora se treine muito esse momento de perda da posse de bola, os jogadores em muitas situações precisam decidir por eles mesmos como se comportar para defender sem um posicionamento específico.

São vários os comportamentos adotados por diferentes equipes. O Barcelona de Pep Guardiola, por exemplo, adotava a regra dos 6 segundos. A equipe, ao perder a posse de bola, iniciava uma verdadeira caçada pela bola novamente, com seus jogadores pressionando o homem da bola para tentar recuperá-la em até 6 segundos. Veja o vídeo abaixo:

Por outro lado, quando uma equipe está na Defesa e recupera a bola, existe o momento de TRANSIÇÃO OFENSIVA. Muitos confundem esse termo com Contra-Ataque. Todo Contra-Ataque é uma Transição Ofensiva, mas o mesmo não ocorre no sentido contrário. Uma equipe pode optar por roubar a bola e manter a sua posse para marcar o gol a partir de um Ataque Posicional. Essa era a característica do Barcelona de Guardiola. Já a Seleção Brasileira atual tem uma postura diferente. Ao recuperar a bola, inicia um Contra-Ataque que é efetivo na maioria das vezes, aproveitando a velocidade de Neymar, Oscar, Hulk, Paulinho e Luiz Gustavo. Abaixo, segue um vídeo de um Contra-Ataque brasileiro:


ADD IT TO YOUR NOTEBOOKS!

You need to login or register to bookmark/favorite this content.


YOU CAN BE INTERESTED IN

Bookmarked By

Leave a Reply