Final antecipada do Brasileirão 2015 – A “SobreBasculação” Defensiva

Como vimos anteriormente, quando uma equipa está sem a posse da bola deve fazer “Campo Pequeno” de forma a reduzir o tempo e o espaço aos jogadores adversários e assim facilitar a recuperação da posse da bola, através da criação de superioridade numérica nas imediações da zona onde está a bola.

Amieiro, N. (2005) diz-nos que para se fazer esse “Campo Pequeno” deve-se reduzir os espaços em largura e em profundidade.

O mesmo autor indica-nos que para se fazer essa redução dos espaços em largura os jogadores devem Bascular em função da posição da bola, gerando-se vantagem numérica nos espaços próximos da bola (zona ativa – lado forte), o que favorece as coberturas defensivas, não perdendo de vista os espaços mais afastados (zona passiva – lado fraco).

SobreBasculação 1

Na imagem anterior as setas indicam os movimentos que deveriam ter sido seguidos pelos jogadores do Atlético Mineiro de forma a protegerem da melhor forma a sua baliza, basculando para a zona da bola (lado forte) mas mantendo a sua organização posicional para protegerem a zona mais afastada da bola (lado fraco).

No entanto, o Lateral Marcos Rocha não manteve a organização posicional (para proteger as costas do Defesa Central mais próximo) e fez uma “SobreBasculação” deixando Lucca sozinho para sentenciar a Final antecipada do Brasileirão 2015.

SB2

Referência Bibliográfica:

Amieiro, N. (2005). Defesa à Zona no Futebol. 


ADD IT TO YOUR NOTEBOOKS!

You need to login or register to bookmark/favorite this content.


YOU CAN BE INTERESTED IN

Bookmarked By

By TacticalPedia

The most comprehensive Encyclopedia for Football Coaching From Coaches to Coaches

Leave a Reply